Blog

Como melhorar a inclusão de pessoas com deficiência auditiva na educação?


A inclusão de pessoas com deficiência auditiva é um desafio no Brasil, em diversos âmbitos. Na educação, a realidade pode ser ainda mais difícil. Os principais problemas enfrentados passam pela dificuldade com a comunicação oral, que prejudica o aprendizado, pela aplicação de metodologias não contextualizadas com a realidade do aluno e pela falta de preparo dos profissionais que atuam nessa área.

Como resultado, surge a importância de lutar por mais investimentos na área educacional para crianças e jovens com diferentes níveis de perda da audição. É necessário, ainda, combater o bullying, que ainda faz parte da realidade de muitas escolas. Mui¬tos alunos deixam de frequentar a es¬co¬la por conta da discriminação.

O Enem e o trabalho pela inclusão

O Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, tem trabalhado, a cada edição, novas formas para aprimorar o atendimento para os milhares de estudantes que possuem alguma necessidade especial. Os participantes com deficiência auditiva podem optar por dois recursos para realizar a prova: o tradutor-intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e a leitura labial.

A primeira opção é realizada com o auxilio de um profissional capacitado em Libras para traduzir as orientações do exame e esclarecer possíveis dúvidas de compreensão. No segundo recurso, o aluno conta com o auxílio de um especialista em comunicação oral de pessoas com deficiência auditiva ou surdas. Ele deve estar preparado para usar técnicas de interpretação e fazer leitura dos movimentos labiais.

Em 2017, o Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, lançou um novo recurso. A Videoprova Traduzida em Libras conta com dicas e conteúdos específicos de orientação para o público. No mesmo ano, o tema da redação exigido na prova foi “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”.

Como perceber os problemas de audição em crianças?

Aqui, no blog da Audição, já listamos os pontos que devem ser observados nas crianças para identificar dificuldades para ouvir. São eles:

• Ouve bem em alguns momentos, mas em outros não;
• Assiste à televisão no volume bem mais alto que o comum;
• Pergunta frequentemente “o quê?”;
• Parece desatento;
• Passa a falar mais alto do que costumava;
• Posiciona a mão na orelha ou movimenta a cabeça para frente para tentar ouvir melhor;
• Tenta entender o que você fala através da movimentação labial.

Para mais informações sobre as dificuldades encontradas na educação de pessoas com deficiência auditiva, confira o texto completo!